2 comentários em “METADATA, OU QUANDO OS EDITORES BRASILEIROS COMEM MOSCAS, COBRAS E LARGATOS.”

  1. Fuçando na Apple Store e Android reparei que é uma batalha encontrar um livro ali. Esses metadados são imortantíssimos e mais, isso acarreta mais profissionais nas editoras pensando estratégicamente no momento de criar um e-book ou app-book. Não adianta ter software, sistema, plataforma X, sem ter o recurso humano adequado para alimentá-lo e geri-lo. Um tipo de editor de livros digitais, ou departamento digital, terá que suprir isso. O mercado editorial de livros precisa urgente investir e formar profissionais especializados e também em OSM (organização, sistemas e métodos), principalmente no surgimento de um novo negócio tão “sistemático”. Ainda muita coisa tem que ser contemplada no preço desses livros digitais! Só 2 dólares, só para o self-publishing.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.